segunda-feira, 11 de março de 2013

Podemos salvar o trinca-ferro da extinção local?


Material educativo sobre o trinca-ferro
O comércio ilegal de animais é considerado a terceira maior atividade ilegal no mundo, atrás apenas do tráfico de armas e de drogas. É, também, a segunda maior ameaça de extinção, perdendo apenas para a perda de habitat, provocado pelo desmatamento. Estima-se que entre 38 milhões de espécimes sejam retiradas anualmente da natureza e que o comércio ilegal de animais movimente por volta de US$ 2,5 bilhões/ano. As aves são muito cobiçadas pelo comércio ilegal de animais, por sua beleza e canto. Considera-se que sejam comercializadas ilegalmente entre 4 bilhões de aves por ano. 

O trinca-ferro (Saltator similis) é cobiçado e traficado por causa de seu belo canto. A classificação quando ao estado de conservação do trinca-ferro (Saltator similis) no Brasil é pouco preocupante. Contudo, quando essa classificação é feita por regiões a situação é diferente.  Em Viçosa o estado de conservação do trinca-ferro (Saltator similis) é vulnerável. O comércio ilegal de aves está reduzindo drasticamente as populações de trinca-ferro. Outras aves já foram extintas em Viçosa por causa do comércio ilegal como o azulão (Cyanoloxia brissonii) e o curió (Sporophila angolensis). Nós não queremos que o mesmo aconteça com o trinca-ferro (Saltator similis). 

Podemos salvar o trinca-ferro de uma extinção local? Somente através da fiscalização e de denúncias, como também, da educação poderemos reverter esse quadro e impedir a extinção local do trinca-ferro (Saltator similis), em Viçosa. Para fazer denúncias ligue para a Polícia de Meio Ambiente, em Viçosa  o telefone é: 3899-2668. Mas, lembre-se o trinca-ferro pode ser criado em cativeiro, através de licença junto ao órgão responsável. Portanto, existem aves que são criadas em gaiolas legalmente.

Por fim, através da divulgação do problema, talvez,  sensibilizemos aquelas pessoas que insistem em manter aves nativas ilegalmente engaioladas.  E, da educação podemos fazer com que nossas crianças conheçam as espécies nativas e os problemas para sua conservação. Assim, esperamos que  elas cresçam com uma consciência conservacionista e atuem de forma mais eficaz em defesa de nossa fauna e flora, em um futuro próximo. Não sei se vamos mudar o fim dessa história que tem tudo para ser trágica, mas estamos tentando escrever um final feliz.


Desenho de Murilo Cunha, 9 anos, de Juiz de fora - MG.

Obs: Nós disponibilizamos uma atividade para colorir sobre o trinca-ferro, acompanha um guia para pais e professores. Você pode solicitar esse arquivo através do email: avesdevicosa@hotmail.com.


FONTES
DESTRO, Guilherme Fernando Gomes; PIMENTEL, Tatiana Lucena; SABAINI, Raquel Monti; BORGES, Roberto Cabral; BARRETO, Raquel.. 2012. Efforts to Combat Wild Animals Trafficking in Brazil. Disponível em: http://cdn.intechopen.com/pdfs/38670/InTech-Efforts_to_combat_wild_animals_trafficking_in_brazil.pdf. Acesso em: 6/03/2013.

RIBEIRO, Leonardo Barros &  SILVA, Melissa Gogliath. 2007. O comércio ilegal põe em risco a diversidade das aves no Brasil. Ciência e Cultura. 59: 4-5. Disponível em: http://cienciaecultura.bvs.br/pdf/cic/v59n4/a02v59n4.pdf. Acesso em: 6/03/2013.

RIBON, Romulo; SIMON, José Eduardo; MATTOS, Geraldo Theodoro de. 2003. Bird extinctions in Atlantic forest fragments of the Viçosa region, Southeastern Brazil. Conservation Biology 17:1827-1839.
  A autora
Marinês Eiterer Marinês Eiterer tem uma profissão muito legal, é bióloga. Ela adora observar aves. E, incentiva todo mundo a observar também. Gosta de escrever sobre aves, principalmente para crianças.

Um comentário:

  1. Me envie o material para meu filho colorir e obrigado'! andremoura@bol.com.br

    ResponderExcluir

’recentPowered By Blogger Widgets